sexta-feira, 23 de maio de 2008

Ser jovem, jovem pejoteiro!

Ser jovem ou jovem pejoteiro parece ser a mesma coisa. Mas não é!
Normalmente todo jovem é um jovem pejoteiro, mas conheci muitos jovens pejoteiros que não eram jovens.
O padre Ludgero foi um exemplo, a maioria defende que ele não era jovem, pois eu apoio, ele era um jovem pejoteiro. Um padre que lutava e defendia a juventude até seu último suspiro. O que, infelizmente, passou de uma frase de fim de texto para a realidade, dura e triste.
Bem... Mas mesmo que pudesse escrever páginas sobre ele, hoje meu assunto é outro. Quero falar sobre o jovem pejoteiro, sobre sua origem, meio e fim, se isso for possível, é claro.
Nascemos e crescemos em um ambiente saudável e favorável. Quem somos? Somos jovens pejoteiros!
Viemos de ambientes saudáveis e não saudáveis, viemos de turmas de catequeses, de momentos inspiradores, de vontades aleatórias, de pessoas que se revoltam com a atual situação de nossa sociedade.
Nascemos!?
As vezes crescemos... Partimos para a coordenação de grupo, paróquia, diocese, regional... Ufaa... Quanta responsabilidade...
Mas aí já é tarde, pois quando “este sangue contaminado com PJ” é injetado em nós, é difícil abandonar a “luta”.
Crescemos juntos, como seres humanos. Lutamos por ideais compartilhados, pois acreditamos na mudança. Somos utópicos!
Agora vamos voltar à origem, meio e fim do jovem pejoteiro, sem alongamentos...
Quero antes advertir que não sou nenhum doutor ou mestre em juventude. Sou apenas “um jovem pejoteiro”.
O fim!
“Quem não teto de vidro que atire a primeira pedra”. Pitty fala isso, várias vezes, em uma de suas músicas, mas ela não faz mais do que imitar Cristo quando protege Madalena dizendo: “Aquele que não tem nenhum pecado, que atira a primeira pedra”, ou algo parecido, pois não estava presente para ter certeza.
Não atire pedras àqueles que deixam de ser jovem pejoteiros, pois esta é a ordem natural das coisas. Nascemos, crescemos, morremos...
Há jovens que são jovens pejoteiros, como há jovens pejoteiros que não são jovens e jovens que não são jovens pejoteiros...
Um dia casamos, partimos para outros caminhos, morremos, decidimos que aqui não há mais sentido, buscamos outros sentidos...
Não há motivos reais, só se sabe que um dia deixamos de ser jovens pejoteiros... Como saber que chegou o momento de “parar”? Eu não sei!
Sei de algo... Depois de conhecer este mundo, depois de ser jovem pejoteiro; é impossível parar de olhar e orar pelo outro. Em toda nossa caminhada recebemos um conhecimento muito importante e revigorante. Algo que impede de olhar em frente sem ver as mazelas de nossa sociedade.
Por isso, mesmo que deixemos de ser jovens pejoteiros, jamais deixaremos de lado Ele e eles, jamais...

2 comentários:

  1. Realmente não existe uma data certa pra se sair da PJ a única coisa certa é que você sairá. Os motivos serão os mais diversos possíveis... Um casamento... A escola... A faculdade... O trabalho... O certo é que a vida continua em sua estrada normal, e você tem que seguir o caminho... As coisas vão mudar os sonhos e as utopias irão acabar os amigos vão se casar e mudar para longe, mas um dia vocês se encontrarão e irão relembrar de todas aquelas histórias... Dos encontros, reuniões, festas... Isso tudo parece muito triste, mas não, é só a vida tomando o seu exato caminho, isso tudo vai dar saudade, mas é exatamente isso que nos difere dos jovens que não são pejoteiros nos fizemos parte de uma linda história que de tão linda é digna de saudade... Isso nos trás a conclusão de que você pode sair da PJ, mas PJ nunca sairá de você!!!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo Anônimo disse...

    Realmente não existe uma data certa pra se sair da PJ a única coisa certa é que você sairá. Os motivos serão os mais diversos possíveis... Um casamento... A escola... A faculdade... O trabalho... O certo é que a vida continua em sua estrada normal, e você tem que seguir o caminho... As coisas vão mudar os sonhos e as utopias irão acabar os amigos vão se casar e mudar para longe, mas um dia vocês se encontrarão e irão relembrar de todas aquelas histórias... Dos encontros, reuniões, festas... Isso tudo parece muito triste, mas não, é só a vida tomando o seu exato caminho, isso tudo vai dar saudade, mas é exatamente isso que nos difere dos jovens que não são pejoteiros nos fizemos parte de uma linda história que de tão linda é digna de saudade... Isso nos trás a conclusão de que você pode sair da PJ, mas PJ nunca sairá de você!!!

    Máron Bráulio

    PJ- Missionários Mercês- MG

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...