terça-feira, 5 de agosto de 2008

Força para persisitr, capacidade de começar de novo...


“A vitalidade não se mostra apenas na força de persistir, mas também na capacidade de começar de novo”. Francis Scott Fitzgerald
Não se é necessário somente persistir, mas persistir com força. Ser forte e feliz quando as coisas estão tudo bem é fácil, qualquer um pode fazer, mas navegar com tranqüilidade e mansidão no meio da turbulência, este é o desafio. Aliás se somos felizes quando as coisas estão boas, então somos fruto de nossas circunstâncias: imagine se surgir uma guerra ao seu redor: seu coração irá explodir junto com a guerra. Não podemos ser assim, não podemos ser vítimas das circunstâncias, mas agentes transformadores de nossa realidade e, mesmo sendo difícil, aprender a não perder a singeleza e a doçura quando o mundo parecer desabar.
A capacidade de começar de novo, por sua vez, refere-se à arte de saber recomeçar, é aquela que nos provoca a abandonar o passado amargo, os pensamentos negativos, que nos aprisionam ao medo semear novamente, mesmo que a tempestade tenha quebrantado todas as mudinhas que recém venciam o terreno da vida e chegavam à existência. Não podemos decretar a morte de todos nossos sonhos, se algum deles ficou preso na escuridão, devemos buscá-lo trazê-lo à luz, sem desistir dos demais...
Ao mesmo tempo em que existem pessoas que constroem palácios no seu mundo exterior, cada vez mais vemos pessoas sendo escravas de seus medos, frustrações, sendo vítimas de tudo que acontece ao seu redor, e principalmente ao redor de suas mentes e coração. Começar para elas não é um desafio, mas uma missão impossível, pois estão presas no pior cárcere, o da emoção (A. Cury).
Escrever a vida é assim, ora teremos dissabores, ora euforias, mas a felicidade pode ser semeada em todas as estações, é fruto para todo o ano, pois pode conviver com todas as situações, das mais belas e das mais nefastas. Afinal, como diz um filósofo Catarinense, nascido em São Ludgero, se algo, para você, parecer ruim, é porque você ainda não entendeu esse algo direito. Para que possamos construir a felicidade, e descobrirmos a beleza em meio as turbulências, pensemos sobre uma bela poesia de Pablo Neruda:
“Se cada dia cai,
dentro de cada noite,
há um poço
onde a claridade está presa.

há que sentar-se na beira
do poço da sombra
e pescar luz caída
com paciência”.
Chesman Pereira Emerin Jr
PJ Sombrio - SC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...