sábado, 7 de maio de 2011

SER MÃE - Pe. Joel Nalepa

 
Ser mãe é um grande mistério de Deus. É desdobrar a sua vida em um, dois, três ou mais filhos que o criador lhe conceder.
Noites e mais noites sem dormir, coração pulsando de alegria e dor pela linda criança embalada em seus braços a qual, muitas vezes, entre a vida e a morte parece até esvaziar dela a própria vida.
Mãe, seu filho nunca cresce, é sempre aquela criança mimada precisando de atenção, cuidado, carinho e proteção. O amor de mãe é sempre o mesmo porque procede do coração de Deus.
Ser mãe é assumir uma missão que não é resultado apenas de uma escolha ou opção pessoal. Não é uma opção apenas de duas pessoas para que a vida se torne dom. Ser mãe é acolher, entender, aceitar o convite do criador. Deus é quem nos dá a vida e a mãe é quem, de uma maneira espetacular, se torna instrumento do criador. Por isso, mãe é a forma divina de estar pertinho de nós. Deus tem muitas formas de se fazer presente em nossas vidas, mas é sem dúvida, através da mãe que ele se torna muito perto de nós, cuida, zela, acaricia, ama com afeto, educa, ensina a andar, viver, amar, perdoar. Ser mãe não é apenas um sinal de Deus, é sim a presença dele no mundo. Dos muitos modos que Deus se manifesta presente no mundo, através da mãe acredito ser um dos mais especiais que Deus escolheu.
Diante da grande missão que é Ser Mãe acredito que é oportuno entendermos que essa deve ser fruto de um projeto de vida bem pensado, assumido com maturidade e com muita responsabilidade, a fim de que a família continue sendo o espaço privilegiado da vida em plenitude que Deus quer para todos nós. Nesse projeto de vida é preciso tomar a vida e a história nas mãos, fazer e assumir a escolha, organizar o caminho em busca da felicidade. Ser mãe é uma causa que alimenta e dá sentido a toda vida.
Ser mãe é ser pessoa madura, consciente, é escolher valores que são inegociáveis, é viver em função do Reino, reino que Jesus veio inaugurar e que pede o nosso compromisso para que façamos com que ele se torne experiência na prática da justiça, do amor, da paz, da solidariedade, do bem... É dizer sim à vida, escolhendo valores que nos tornam mais humanos, é poder dizer não ao consumismo, ao hedonismo, é dizer não ao ter, escolhendo como prioridade o Ser. Na escolha do ser ao invés do ter podemos olhar para as mães e ver nelas todas essas escolhas e agradecer o testemunho por tantos ensinamentos que nos mostram o valor da vida, a responsabilidade pelo cuidado do ser pessoa, ser amado com afeto, proteção e estímulo para o crescimento humano integral, como pessoas criadas à imagem e semelhança do Criador. Se fomos criados à imagem e semelhança de Deus é porque temos alguém que, como Maria, a mãe de Jesus, disse “sim” ao convite de Deus e na obediência e na paciência acreditou na vida como dom que se renova em vista to Reino. 
Espero que este texto nos ajude a pensar na vida como dom, e acima de tudo, que saibamos agradecer pela mãe que Deus nos deu como maior presente para nossa existência. Da mesma forma é oportuno refletirmos como que as futuras mães estão se preparando para essa nobre missão, com tem sido a busca de uma formação humana, afetiva, espiritual em vista dessa missão tão nobre, e que por isso não pode se resumir a uma escolha pessoal nem tão pouco à consequência de atos ou relacionamentos vividos na superficialidade de encontros ocasionais. É, pois oportuno pensarmos no valor sagrado do namoro em vista de um projeto de vida responsável, maduro onde homem e mulher se encontrarão para serem instrumentos de Deus a favor da vida, da família, dos valores inegociáveis em vista de um mundo melhor. Que os grupos de jovens possam crescer e viver com maturidade a afetividade que respeita cada pessoa com ser criado à imagem e semelhança de Deus e nunca como objeto de prazer e satisfação dos desejos imediatos. Ser mãe é encontrar e saber dar sentido à vida.
Nesse sentido, podemos abrir uma outra reflexão: o valor, a importância da mulher na Igreja, na sociedade, enfim no mundo. Teremos durante este ano vários momentos onde veremos esse tema presente, de modo especial no DNJ (Dia Nacional da Juventude) que será celebrado em outubro. Por isso, desde já quero convidar você e seu grupo para refletirmos um pouco sobre este tema importante, que merece nossa atenção, nosso cuidado e nosso reconhecimento. Entender o lugar da mulher, na Igreja, na Sociedade, na nossa vida, é entender a presença de Deus na Bíblia e também na nossa história. Por isso encaminho também um texto com muitos elementos importantes que podem nos ajudar muito. Trata-se de um texto do Pe. Wander Torres (Pe. Wandinho) que assessora a Juventude em Minas Gerais que escreveu esse texto inspirado na reunião da Pastoral da Juventude que aconteceu em janeiro de 2011 em Imperatriz – Maranhão. Reunião denominada “Ampliada de Imperatriz”. Espero que o texto ajude você e seu grupo.

Pe. Joel Nalepa
Assessor Diocesano da Evangelização da Juventude
Assessor Regional da Pastoral da Juventude
CNBB – Regional Sul II - Paraná

(A imagem postada chama-se "Maternidade", e o autor é Pablo Picasso).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...