quarta-feira, 29 de junho de 2011

PJ realiza 3ª Missão Jovem em Santa Catarina

A terceira edição da Missão Jovem promovida pela Pastoral da Juventude (PJ) de Santa Catarina visitou cerca de 5000 casas em cinco bairros de Navegantes, SC, durante o feriadão de Corpus Christi. Os 250 missionários jovens visitaram as famílias para dialogar e rezar. Além disso, organizaram eventos comunitários para jovens, crianças e seus pais.
No início da tarde de quinta-feira (23) foi declarada aberta a Missão Jovem na Paróquia São Domingos de Gusmão. Após as orientações propostas pelos líderes missionários, os jovens foram enviados para as cinco comunidades da paróquia, aonde realizaram as celebrações de abertura em cada uma delas.
Visitação
O dia de sexta-feira foi dedicado à visitação das famílias. O jovem João Batista Sartori, 24, coordenador de telemarketing e estudante de Administração, descreveu as conversas com as famílias como um momento marcante.
“Senti que o trabalho foi feito com muito amor pelos missionários, fomos recebidos por pessoas de todas as religiões. Sinto que além de escutarmos as pessoas conseguimos semear nossa mensagem, em cada lugar por onde passamos. Foi muito lindo! Pra mim foi uma das experiências mais fortes de minha vida”, avaliou.
O jovem Marcos Tramontin acredita que a visita às famílias foi importante para conhecer o contexto na qual elas vivem.
“A visita às casas possibilitou aos jovens o maior conhecimento da realidade, criando laços com as famílias, conhecendo seus anseios, escutando e observando também as dificuldades e alegrias da vivência em comunidade, favorecendo assim o seu compromisso e o engajamento”, afirmou.
A Escola Municipal Professora Vilna Corrêa Pretti, também recebeu a visita dos missionários que apresentaram aos alunos sobre mensagem do “amigo Jesus Cristo”.
“Foi realizado um trabalho diferente para mostrar que somos uma Igreja que reza, mas que também é alegre, dinâmica e jovem, com um rosto novo”, disse Alcione Verardi, 27, gerente de agropecuária.
Encontros
No sábado, crianças foram recebidas nos centros comunitários por palhaços, com balões, canções e brincadeiras. Cerca de 600 crianças participaram das atividades, 350 apenas na comunidade São Paulo. Missionários designados para outras funções precisaram ser chamados para ajudar a equipe.
A secretária Maristela Zimmermann, 22, pintada com as cores da PJ, ajudou a divertir as crianças, motivada pelo desejo de melhorar a comunidade. Pintada com as cores da PJ, ela agradeceu a vinda das missões à comunidade Nossa Senhora das Graças, onde reside.
“As lideranças estão muito envolvidas o grupo de jovens está novamente motivado, a maioria das famílias está acolhendo os missionários, o clima de amizade está muito forte. As missões estão realmente valendo à pena”, disse sorrindo.
Na comunidade Nossa Senhora do Rosário, o encontro com as famílias reuniu mais de 100 mães, pais e avós. A equipe de missionários apresentou uma dramatização em uma mãe lutava manter a família unida, diante da jornada de trabalho excessiva do marido, os vícios da filha mais nova e a frustração escolar do filho mais velho. No entanto, estes perceberam isto apenas depois da sua morte. No fim, os missionários destacaram a necessidade do amor como fundamento para a manutenção da família.
Na comunidade Nossa Senhora das Graças, no encontro com os jovens, os missionários apresentaram a Proposta da Pastoral da Juventude. Conceitos como juventude, protagonismo, grupo de jovens, foram abordados. Dinâmicas de grupo foram utilizadas para tornar a o encontro lúdico.
O papel do líder na comunidade e como pode ser exercida sua liderança foram temas abordados no encontro com líderes na comunidade Imaculado Coração de Maria. Também foram utilizadas passagens para a reflexão sobre a Igreja atual.
A psicóloga Francine Hoffmann, 25, contou que os participantes escreveram individualmente em papeis pequenos o tipo de comportamento que impede o trabalho em comunidade. Por fim, os missionários falaram sobre o líder que a igreja precisa.
“Ao mesmo tempo em que valorizamos o papel de cada liderança que estava presente, também promovemos uma avaliação individual e o fortalecimento do papel de cada um nesse processo de mudança”, explicou Francine.
Celebrações
Celebrações no sábado encerram as atividades nas comunidades. Com as capelas lotadas, missionários e moradores despediram-se com emoção. Durante o encerramento da missa o líder comunitário da comunidade São Paulo, conhecido como “Seu Zé”, que não tinha palavras para expressar o que sentia, e convidou a comunidade a intensificar a sua organização depois que as missões terminarem.
“Não esperava um ‘chacoalhão’ desses. Nós estávamos virados ao contrário, eles disseram: olha é por aqui. Esse foi o ‘chacoalhão’ que eles deram para nós. Para mim serviu para isso, e eu quero que isso sirva para cada um de nós. Eu me senti novo aqui na presença desses jovens, discursou o líder.
Uma Missa, presidida pelo bispo diocesano de Blumenau, dom José Negri, encerrou oficialmente a 3ª Missão Jovem Regional no domingo.
Com canto e dança e palavras de ordem, os missionários jovens chegaram pela manhã à Igreja Matriz, deixando evidente a alegria que, mais tarde, o bispo sublinharia em sua homilia.
“Por que vocês estão contentes? Porque nestes quatro dias vocês deixaram de pensar em si”, afirmou.
Para ele, os jovens, ao deixarem seus interesses pessoais de lado por alguns dias para fazerem missão, trouxeram alegria para as famílias pelas quais passaram.
“Quantos, diante da sua presença, da presença do missionário, começaram a respirar de novo, a viver de novo? Isto é a vida. Jesus veio nos trazer a vida, como disse São Paulo na segunda leitura. É por isso que vocês estão felizes”, reafirmou dom José.
Antes disso, quatro jovens, missionários, convidados pelo bispo, deram testemunho pessoal das experiências que tiveram nas comunidades pelas quais passaram. Os jovens se disseram marcados pelas histórias de vida que ouviram e afirmaram que levam para casa muito mais do que trouxeram.
Um deles, que esteve na comunidade Nossa Senhora do Rosário, sintetizou o pensamento dos companheiros.
“Nós missionários, viemos para estas comunidades para tentar trazer um pouquinho daquela nossa alegria, daquela nossa esperança de que a vida tem outra visão, de que a vida é melhor. Os conhecimentos adquiridos foram muito grandes, muito fortes. Os momentos de partilha a gente nem comenta, porque só estando lá para ver. E creio que todos nós que estamos aqui, não trouxemos praticamente nada, em vista daquilo que estamos levando hoje”, disse.
Depois do encerramento, eles participaram da Marcha Estadual Contra Violência e o Extermínio de Jovens.
Rodrigo da Silva - Secretário Regional da PJ - SC

Fonte. www.jovensconectados.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...